Lesões da Cartilagem

Joelho

Lesões da Cartilagem
A cartilagem é o “revestimento” das superfícies articulares que aparece como uma superfície lisa e branca. É formada por um número pequeno de células (condrócitos) e sobretudo por uma estrutura altamente complexa de fibras de colagénio e proteoglicanos que constituem a matriz extracelular.
A principal função da cartilagem é oferecer uma superfície lisa e sem atrito que facilita o movimento ao mesmo tempo que resiste a forças de tensão, cisalhamento e compressão a que está submetido o joelho.
Uma lesão da cartilagem ou condropatia é um dos problemas mais frequentes no joelho do adulto. Como a cartilagem é muito pouco vascularizada (a nutrição é feita pelo próprio líquido sinovial), não existe potencial de cicatrização espontânea.

As lesões podem ser superficiais ou mais profundas e geralmente classificam-se entre I e IV. Na condropatia grau I verifica-se apenas um amolecimento da cartilagem, no grau II existe já uma fibrilação da camada mais superficial, no grau III existe uma lesão que atinge já as camadas mais profundas e no grau IV temos uma lesão em toda a espessura da cartilagem já com exposição do osso subcondral.

As lesões da cartilagem podem acontecer por traumatismos major (ex. traumatismos desportivos, quedas, etc.) e nestes casos aparecem frequentemente associadas a outras lesões como meniscos ou ligamentos, mas também ser secundárias a microtraumatismos repetidos que levam a um desgaste progressivo da cartilagem. Também frequentes são as lesões da cartilagem associadas a doenças específicas que afectam o osso subcondral como por exemplo a ostecondrite dissecante.
A sintomatologia associada à lesão da cartilagem é muito variável. Embora por vezes não cause nenhum sintoma (sendo apenas um achado de imagem), na maior parte das vezes a dor é o principal sintoma. O local da lesão da cartilagem é responsável pelo tipo e localização da dor que se sente. Outros sintomas como derrame ou inchaço ou mesmo sensação de bloqueio transitório podem também estar presentes em especial na presença de um corpo livre (quando o fragmento de cartilagem se solta e funciona como uma “areia numa engrenagem”).
Em algumas circunstâncias, em especial nas grandes lesões de cartilagem pós traumáticas, a lesão da cartilagem pode ser visível na radiografia simples. Nestes casos é importante perceber que uma lesão que seja visível no RX (por mais pequena que pareça) traduz uma lesão importante da cartilagem.

Na maior parte dos casos as lesões da cartilagem só são visíveis numa Ressonância Magnética e este é melhor exame para distinguir com pormenor o grau, tamanho e características do osso subcondral.

Nem todas… A decisão sobre a necessidade de operar baseia-se nos sintomas que apresente, no tipo e extensão da lesão, da idade e exigência funcional do doente e ainda na existência ou não de outros problemas do joelho associados.